Integração de Conselheiros

Novos representantes preparados para compor o Plenário do Crea-SP

Anualmente, com a renovação de um terço da composição de seu Plenário, o Crea-SP realiza uma integração com os conselheiros regionais que, recém-empossados, precisam ser orientados acerca das principais atividades que desenvolverão durante o seu período de mandato.

O objetivo é prepará-los e, assim, colaborar para o bom andamento de seus trabalhos em Plenário, uma atividade honorífica que objetiva a defesa da sociedade por meio da fiscalização, do cumprimento da legislação e do aprimoramento do exercício profissional.

No workshop realizado em abril último, os participantes foram apresentados à área de colegiados, responsável pelo acompanhamento direto dos mandatos de todos os conselheiros, e receberam orientações detalhadas sobre assuntos como ética profissional, registro de empresas e acervo técnico, bem como conheceram também as atividades das áreas jurídica, financeira, de tecnologia e inovação, fiscalização e comunicação.

A gerente do departamento de Apoio ao Colegiado, Arq. Urb. Dinah Sayuri Iwamizu, destaca a importância dessa reciclagem, não apenas para aqueles que estão participando do Plenário pela primeira vez, mas também para os conselheiros que já tiveram mandatos anteriores. “Hoje o Conselho é outro. A atual gestão trouxe muitas ideias novas, é importante que eles conheçam uma nova visão de Crea-SP, de onde se quer chegar. E mesmo na questão de legislação, temos alguns novos entendimentos técnicos de resoluções do Confea e, por isso, é importante a reciclagem”, diz.

O relato de processos ainda é uma questão a ser reforçada junto aos conselheiros. “De um lado, temos profissionais de alto conhecimento e que, por isso, foram escolhidos pelas instituições de ensino e entidades de classe para representá-las e, de outro, existe uma ‘judicialização’ de tudo no Brasil, tudo vai para a justiça. Se as questões de fiscalização vierem embasadas num relato, num parecer técnico explicando didaticamente, por exemplo, por que é necessário o registro daquele profissional ou daquela empresa, teremos várias questões solucionadas antes mesmo de buscar o apoio da nossa área jurídica”, ressalta a arquiteta, lembrando que o suporte técnico oferecido pelos profissionais da Superintendência de Colegiados segue sendo fundamental para auxiliar nos relatos e pareceres necessários.

De inspetores a conselheiros

Com a experiência de ter sido inspetora por 10 anos em Cajamar, a Eng. Agr. Izildinha Valéria de Aguiar Nascimento, que agora representa a Associação dos Engenheiros, Agrônomos e Tecnólogos de Vargem Grande Paulista no Plenário do Crea-SP, está vivenciando uma nova situação e prepara-se para entender o Crea-SP sob um novo prisma. “Ter participado das reuniões da CAF local foi fundamental para conhecer as pessoas e isso acabou culminando na indicação para representar a associação. O conhecimento adquirido aqui em Plenário vai ser compartilhado com todos os membros da entidade, daí a importância dessa integração. Tudo isso aumenta a nossa responsabilidade, mas também a vontade de colaborar com novas ideias”, diz a conselheira, que pretende trazer à discussão assuntos como a aplicação dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS apregoados pela ONU, itens que, segundo a engenheira agrônoma, precisam ser fortalecidos.

O Eng. Mec. Carlos Peterson Tremonte, da Associação dos Arquitetos, Engenheiros e Técnicos de Cotia, ressalta a evolução da atividade de fiscalização do Conselho. “Para quem viveu outras épocas, em que o fiscal chegava ‘chutando a porta’, que sofreu muito com a fiscalização, hoje vê uma outra situação: o agente fiscal não tem ido às obras para punir, mas sim para conversar, esclarecer, mostrar o intuito desse trabalho, que é orientativo”, diz.

Agilidade e transparência são, segundo o conselheiro, as principais conquistas desta nova mentalidade. “Concentrar informação para que todo mundo trabalhe na mesma base de dados; com isso o fiscal lá no campo coleta uma informação que consegue eletronicamente já imputar no sistema do Crea-SP”, diz Peter, que também elogia a nova dinâmica de reuniões como o Colégio de Inspetores. “A gente trabalha, troca informação, vota eletronicamente… A gente se sente parte de todo o processo e é uma maneira de contribuir com o Crea-SP”, diz o engenheiro que, durante quase seis anos, também foi inspetor.

O diretor de Relações Profissionais do Conselho, Tecgo. Pedro Alves de Souza Júnior, também presidente do Sindicato dos Tecnólogos do Estado de São Paulo, compara o momento atual do Conselho com o que acompanhou no final da década de 2000, quando foi conselheiro titular pela primeira vez. “Nós, que somos mais antigos, muitas vezes temos certa resistência ou até mesmo dificuldade para absorver tantas inovações. Mas é fundamental para nós, que somos profissionais da área tecnológica, cada vez mais nos aprimorarmos para que realmente a tecnologia faça parte da vida do nosso planeta”, ressalta.

O tecnólogo também destaca as recentes conquistas da categoria no Plenário do Confea, que visam à regulamentação do exercício da profissão. “A nossa luta é para ter as nossas atividades regulamentadas de acordo com o que a gente aprende nos bancos escolares. Nós simplesmente vamos fazer o que a gente sempre estudou para fazer e, o mais importante, não vamos mexer nas atividades de ninguém”, finaliza.

Produzido pela Superintendência de Comunicação do Crea-SP

Reportagem: Jornalista Perácio de Melo – ECC/GCE/SUPCOM

Colaboração: Estagiário Dennis Pereira


FONTE: CREA-SP

Post anterior
Próximo post

Deixe um comentário

Utilizamos cookies para auxiliar na sua navegação, melhorar sua experiência como usuário(a), melhorar o conteúdo de nosso site, direcionar conteúdo de marketing, fazer análises e relatórios estatísticos sobre o uso do site, tudo para te proporcionar a melhor experiência possível. Para saber mais sobre os cookies, acesse nossa Política de Privacidade.
Eu concordo